Vivência do Ser Criança e da Infância em Assentamento Rural do Semiárido Cearense

Vivência do Ser Criança e da Infância em Assentamento Rural do Semiárido Cearense

Iniciada em abril de 2011, a pesquisa tem por objetivo conhecer como se dá a vivência do ser criança e da infância em assentamento rural, vinculado ao Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST). Trata-se de investigação de cunho qualitativo, de abordagem etnográfica, que tem como principais parceiros crianças de 6 a 11 anos, moradoras do Assentamento Boa Vista, no município de Itapiúna.

A equipe de investigação é formada por nove pessoas, entre integrantes do NUCEPEC/UFC, do Departamento de Economia Doméstica da UFC e do Curso de Direito da UNIFOR. De caráter multidisciplinar, temos como suportes teoricometodológicos material produzido por e sobre o MST, no que concerne à infância e ao ser criança; de idéias advindas da Sociologia, Psicologia, Filosofia, Antropologia e História da Infância; da escolha de escuta de crianças; e da pesquisa qualitativa, com o pressuposto maior de que não há uma infância universal e de que crianças são produtos e produtores de cultura.

O fazer investigativo tem se constituído de encontros para discussões teóricas e planejamentos metodológicos, de nove viagens ao Assentamento Boa Vista, com o caráter de imersão no cotidiano, de adensamento do conhecimento sobre o contexto da pesquisa (que incluem a visita a todas as 25 famílias do Assentamento), e de encontros com crianças. Desse percurso, resultou a identificação de categorias concernentes à vivência do ser criança e da infância, que foram trabalhadas aprofundadamente com as crianças.

Clique aqui ou acesse Coluna => Artigos Publicados e Textos Afins e confira o Relatório Final da Pesquisa.